Carregando...Carregando...


Depoimento – Burgman 400

Ubiratã Muniz

Excelente para o piloto, mas a garupa sofre… (30/04/07)

Prós: Conforto do piloto, facilidade de condução, praticidade

Contras: Conforto da garupa, rede de assistência técnica

Adquiri em Setembro de 2006 uma Burgman 400, ano 2003. Foi um achado, estava muito dificil achar uma seminova em bom estado aqui no Distrito Federal. Sempre fui um apaixonado pelos maxiscooters e principalmente pela Burgman 400, e quando pude, comprei uma, para ser minha segunda moto, substituindo uma Intruder 250 98 que foi minha moto de aprendizado pos-habilitaçao.

Para rodar sozinho, a Burgman 400 é uma beleza. Alem de nao ter que passar marchas, ela é bem estavel e agil no transito, passando tranquilamente pelos corredores, alem de ter uma presença incrivel (todo mundo onde para pergunta curiosidades sobre a moto, e os motoristas aparentam ter uma simpatia muito grande por scooters se comparada a que sentem pelas motos tradicionais). A arrancada é otima (merito do cambio CVT). O espaço para bagagens é fenomenal, para quem precisa levar notebook pro serviço é uma maravilha, pois ainda sobra espaço para guardar jaquetas, e outros itens. Ainda complementei o espaço de 55 litros sob o banco com um bauleto Givi de 45 litros, totalizando 100 litros de espaço pra bagagem, que é quase um porta-malas de carro pequeno. Ja cansei de usar a Burgman para fazer compras quinzenais no supermercado aqui perto.

Com garupa, o piloto nao percebe as diferenças de conduçao. Em viagem, acompanhou facilmente (em um grupo de dez motos de todo tipo, de Twister a GS500 e XT660, dentre outros). Porem… a garupa sofre. A posiçao para a garupa é muito ruim, nao ha como a garupa andar colada ao piloto por causa da diferença de altura do banco (se tentar, nao vai ter apoio de pé e vai dar capacetada no piloto a cada freada mais forte), o que obriga a usar as barras laterais (que ficam muito recuadas) para se segurar na moto, o que depois de pouco tempo (uma meia hora, a quarenta e cinco minutos) ja causa dores insuportaveis nas costas da garupa, alem da sensaçao de insegurança que isto provoca para a passageira. E nao é problema de regulagem da pre-carga do amortecedor traseiro, que ja foi devidamente ajustada para otimizar o conforto da garupa, estando na posiçao menos pior . Pra completar, o piloto fica completamente protegido do vento sob o para-brisas, mas a rajada que o para-brisas desvia do piloto vai diretamente para a garupa, o que aumenta ainda mais a sensaçao de insegurança desta. Tambem nao se trata de inexperiencia da garupa, ja que resolvi fazer o teste andando eu mesmo na garupa da moto, e cheguei a mesma conclusao: é horrivel.

Dentre outros aspectos negativos, devo destacar o consumo de combusti­vel (deve ser um problema especifico da minha moto, que raramente passa de 16 km/l, é muito alto para uma 400, mesmo sendo automatica e com carburador, eu esperava fazer pelo menos uns 19 km/l ja que o transito daqui do Distrito Federal é bem solto – vamos ver se com o filtro K&N que eu comprei melhora um pouco), a dificuldade em conseguir peças de reposiçao fora da rede autorizada (onde tudo custa caro),e um problema que nao é culpa da moto, mas das autoridades de transito (que nao fiscalizam isso), que é o de raspar o fundo em lombadas fora dos padrões estipulados pelo CONTRAN, que existem aos montes pelo Brasil afora. Se a lombada for de acordo com as normas nao raspa de jeito nenhum.

é uma maxiscooter perfeitamente recomendavel (inclusive para viagens, ja que a suspensao trabalha muito bem e compensa o tamanho minúsculo das rodas) para quem vai andar sozinho o tempo todo ou apenas eventualmente garupado, sendo altamente recomendada (e uma otima opçao de compra) para esse tipo de usuario.

Mas, apesar de ser um verdadeiro apaixonado por esse maravilhoso maxiscooter, devo ser absolutamente sincero e imparcial, afinal este é o objetivo das avaliaçoes do Ivox: Para quem vai andar garupado boa parte do tempo (os casados que gostam de viajar de moto, por exemplo), apesar do espaço extra para as bagagens (quem é casado sabe que mulher gosta de levar a casa inteira, hehe), infelizmente a falta de conforto para a garupa faz com que a Burgman nao seja uma boa opçao de compra nesses casos. Nao fosse esse problema de ergonomia, levaria cinco com louvor. Mas vai levar nota 4.

Preço Pago: 18000,00

Como voe adquiriu : a Vista

Comprou o novo ou usado: Usado

Confiabilidade: Aparentemente nao apresenta problemas

Qualidade de acabamento: Muito boa

Ano do Modelo: 2002

Espaço interno: Muito Bom

Dirigibilidade: Muito Bom

Nome do modelo: Burgman 400 2003

Complementando do fórum debate motos:

o conforto da garupa minha mulher achou ruim. O banco é bom, largo e com densidade correta de espuma, a posição de quem vai lá que é ruim. Não dá pra garupa ir abraçada no piloto, e as alças são (pelo menos eram na minha 2003) muito recuadas, a posição cansa fácil em passeios mais longos.

aliás, falando de conforto da garupa, já tive, na ordem:

intruder 250

burgman 400

tornado

falcon

xtz 125 (nunca andei com garupa nessa) – um tempo junto com as seguintes

xt 600 (um tempo com a xtz e a b12, peguei num negócio)

bandit 1200

e a preferência de conforto da patroa foi:

bandit

falcon

xt 600

tornado

burgman 400

intruder

sendo que apesar da intruder ser menos confortável, ela se sentiu mais segura devido à posição (agarrada comigo), e que apesar do banco da tornado ser uma m*, a posição da garupa é melhor que na b400 (posição dos pés).

um outro amigo meu de brasília que também tinha uma burgman 400 (2005), trocou-a numa shadow 600 (que não é nenhum exemplo de conforto, graças à suspensão dura, ainda que a dele tivesse um puta bancão confortável) por causa das reclamações da mulher dele.

se for para passeios eventuais, sem pegar muita distância, é usável, mesmo com garupa. pra viagens maiores vai se tornar cansativo pra quem vai na carona (não sei como está o modelo novo nesse quesito, vai que arrumaram a posição das alças).

outro probleminha da b400 é o entre-eixos muito longo, com a baixa altura. Tem que passar em lombada meio de lado, igual se faz com carro rebaixado, senão raspa, isso sozinho, com garupa então é pior ainda. ah, isso acontece principalmente com lombada de quadra, que é feita de qualquer jeito. lombada de rodovia, que geralmente é feita de acordo com as normas de tamanho, não raspa não.

o consumo, a minha 2003 com carburador fazia entre 18 e 20 km/l dependendo da tocada (chegou a fazer 12 mas o carburador tava desregulado e sujo). Dizem que as injetadas gastam menos na estrada, mas que na cidade é a mesma coisa.

Manutenção é complicada, o pessoal das concessionárias suzuki daqui é meio (muito) incompetente, e oficinas particulares não querem mexer na burgman por terem medo de mexer por não conhecerem. Algumas peças custam os olhos da cara no Brasil (correia da transmissão custa mais de 1000 reais e só acha na suzuki), então acaba sendo melhor comprar pela internet no exterior (80 dólares).

outra coisa que enche o saco é o efeito celebridade . todo lugar que vc parar vai vir gente querendo perguntar sobre a moto, subir na moto, isso ENCHE O SACO.

Tem espaço de sobra pra levar coisa, é uma moto muito boa pra uso urbano, o espaço sob o banco é ideal pra levar por exemplo pasta de laptop e guarda dois capacetes fechados.

As rodas pequenas atrapalham um pouco com o asfalto ruim, mas é um martírio pegar paralelepípedo (fui uma vez pra pirenópolis) , estrada de terra (mesmo que batida) então nem pensar. Pneu, quando precisa, é um parto pra encontrar. Qualquer ondulaçãozinha vai refletir bastante, por mais que a suspensão seja boa.

Em retas com asfalto perfeito é uma maravilha. Não faz curva muito bem, tem que planejar a curva antes pois geralmente o cavalete central raspa se inclinar demais.

o câmbio cvt ajuda bastante, ela não perde velocidade fácil em subidas. na estrada dá pra manter 130/140 de cruzeiro numa boa dependendo do seu peso (se você for mais magrinho eu não recomendo, pois ela tende a balançar demais em velocidades mais altas, no meu caso meu sobrepeso ajudou }:) ) mas o ideal é manter 120. A final é de 160 km/h reais (medidos em GPS). Ah, o tanque é pequeno, então dificilmente anda-se mais de 200km sem abastecer. Pelo fato de ela ser toda fechadona , é praticamente uma vela , sendo muito (mesmo) sensível a ventos laterais.

mercado é ruim pra qualquer moto grande, no caso da burgman 400 então é mais complicado ainda, por ser uma moto de nicho. Pode dar sorte de aparecer um interessado logo que anunciar (como aconteceu com o cara que me vendeu a moto, eu estava monitorando anúncios no moto.com.br e apareci no dia que ele anunciou) ou levar alguns meses pra passar pra frente (como aconteceu comigo). A minha eu vendi pro Laércio Biscaia aqui do fórum, pegando a Tornado dele na troca, ele ficou menos tempo com a b400 do que eu levei pra vender… :lol: se considerar o tempo que ele usou a moto, isso significa que ele deve ter achado um comprador bem rápido.

coisa boa é que você pode estacionar em qualquer lugar que ninguém rouba. seguro também deve ser bem barato (eu não tinha na minha).

te pergunto: vai ser a sua primeira moto?! se for, vale à pena mesmo com os problemas acima citados: é uma boa moto para aprendizado, pra aprender as manhas de andar no trânsito e na estrada, pelo fato de não ter as marchas pra se preocupar.

se vc tiver mais de 1,80m, recomendo instalar uma bolha mais alta, a Givi fabrica e tem no site da Prover Motos.

Alongadores de mesa (pra elevar o guidão) também são fundamentais pra quem tem acima de 1,75 (eu precisei colocar na minha tb).

fiquei com a minha 2 anos, hoje não compraria outra, exceto se fosse para ser segunda moto (só pra usar pra ir e voltar do trabalho), como não posso me dar a esse luxo fico só com a bandit mesmo. Mas eu acredito que vale ter uma como experiência, vai que você se adapta melhor que eu e sua esposa se adapta melhor que a minha. Como produto é um scooter pra lá de bom, tem algumas praticidades que não existem em outras motos… :lol:

http://www.lavamoto.com.br/burgman01.htm