Carregando...Carregando...


Honda Lead 110 – João Carlos

Minha Honda Lead está com 680 Km, logo chegará a hora da sua primeira revisão, eu posso afirmar que sou um consumidor satisfeito, a moto atende a sua proposta de veículo urbano, mesmo com um motor de 110cc que muitos acham pouco, eu acho adeuquado pelo seu tamanho e para o trânsito de São Paulo que a velocidade média é de 29,37 km/h na hora do rush, nestes horários de pico a Lead leva vantagem enquanto eu me desloco a no mínimo 40 Km/h.

Meus trajetos são relativamente pequenos, casa-trabalho-casa, porém eu gastava aproximadamente 3 h ½ de ônibus (considerando manhã e tarde), hoje eu gasto 20 minutos pela manhã e 30 na parte da tarde, isso sem contar no $$$$ da gasolina, ela faz uma média de 35 a 37 Km/h por litro de gasolina Podium…. não testei com outras, salvo o desastre dos postos de gasolina em São Roque J

Esse final de semana fizemos uma pequena viagem em grupo para São Roque, mantive uma velocidade de cruzeiro na média de 75 Km/h para acompanhar o comboio, a Lead cumpriu bem o papel e o CVT ainda tinha fólego para empurrar a moto em algumas esticadinhas até uns 90 Km/h.

Eu estranhei porque o tal do limitador à 84 Km/h não se fez presente nesta viagem…. e me surpreendi quando no retorno à São Paulo fiz as contas e descobri que a Lead fez 43 Km/l de gasolina na estrada.

Nas subidas ela também não decepcionou, a velocidade caia mas fiz percursos ingrimes mantendo uma média de 60 km/h, o que foi suficiente para acompanhar o pelotão de Burgmans, Bandit, 1000 RR, Malaguti, Ninja, e outras motos.

Como aprendizado dessa viagem em relação à Honda Lead ficou.

Dentro do seu porte é possível fazer viagens, porém não aconselho pegar estrada sozinho, pode ser muito perigoso, porém em grupo se torna muito prazeiroso e ela acompanha o pelotão.

Retornei para SP sozinho por motivos de força maior, e os carros e caminhões parece que vão passar por cima…

O porta malas abaixo do banco (Buraco Negro) é perfeito, coube minhas tralhas e de outros companheiros… J

O freio de mão (sim, ela tem freio de mão como os carros) na entrada do Ski Park em São Roque, é uma subida e enquanto aguardavamos a liberação das motos 1 a 1 para entrar no parque eu pude relaxar com a moto freiada na ladeira… (sensacional !!!) enquanto meus companheiros tinham que agarrar suas manetes de freio com vigor… J

A refrigeração se mostrou eficiente, apesar que o dia estava bem frio, mas o ponteiro da temperatura se manteve estável em todos os momentos da viagem, quero ver isso no verão!

O motor trabalha muito macio, silencioso e com uma tocada prudente pode-se aproveitar muito o CVT da motinho.

Me preocupa os acidentes que aconteceram (5 relatos) sobre a quebra do suporte do motor, mas conversando com o Alex podemos concluir que pode ser uma questão de lote (espero que a minha não esteja neste mesmo lote) e até mesmo impacto direto na parte de baixo, acho mancada da Honda usar uma liga da alumínio como suporte, acredito que não seja o material mais resistente, HONDAAAA…VAMOS FAZER UM RECALLLLZINHO ????????

Pontos fracos da Lead na estrada.

Sai de São Paulo com o ¾ do tanque, após passear em São Roque tive que abastecer antes de voltar para casa porque o ponteiro da gasolina estava um pouco acima da reserva, como o tanque é de 6,5 Litros não se deve abusar da autonomia.

Única opção que achei para abastecer era um posto da marca “Sei lá, com coisa nenhuma” a Gasolina era pura, tão pura que se tornava quase cristalina… (LIXO), mas ou era isso, ou teria que empurrar minha lacraia até SP, nos primeiros 10 Km a moto parecia engasgar um pouco, falhava na alta, e não desenvolvia mais que 60 Km/h, depois acho que a mistura com o resto de Gasolina Podium fez as coisas normalizarem. (após chegar em casa drenei o tanque com uma bomba elétrica, e abasteci novamente com Podium), ainda bem, aparentemente nenhum dano.

O banco é muito confortável, porém vai te empurrando para frente, e quando você percebe está quase empuleirado no guidão, não sei se isso é pelo design do assento ou se é por conta da trepidação na rodovia Raposo Tavares, eu já tinha percebido isso no cotidiano mas não tinha certeza.