Pilotagem – Curvas com scooter

Pilotagem – Curvas com scooter

A grande maioria dos usuários de scooter são novatos e tem pouca ou até nenhuma experiência no trânsito, pouca kilometragem rodada mesmo, o que reflete em um perfil de motociclista mais calmo e cuidadoso, porém tem seus medos e receios, um desses mostros são as curvas.

Tipos de atitude nas curvas grandes como as de retornos

Motolouco-motoboy-mortoboy

Já vem acelerado, costurando os carros deixa para frear no finalzinho, dá uma deitada no sentido contrario e mergulha na curva todo torto, deita a moto mas mantém o corpo reto meio assim -)- (repare, a maioria faz a curva todo torto), capacete metade na cabeça e bombando no acelerador.

Speed-speedero-speedcova

Acelera tudo até pouco antes da curva, dá uma freada forte, larga o freio e entra na curva, normalmente na parte de dentro, quase ralando o joelho na guia, mantem a aceleração constante e em alta velocidade, confiando na aderência do pneu slick.

Carroça-rolha-atrasa_lado

Vai devagar, muda de faixa durante a curva, acha o dono da pista e ai de quem buzinar, atrapalha o motolouco, pois a seta nao funciona e a mochila pesada de lado atrapalhando o equilíbrio, cigarro no canto da boca, com apenas uma mão.. e por ai vai…

Como podem ver, existem várias formas de conduta e muita gente fala besteira e fica se gabando da forma agressiva(ou não) de pilotar. Você pode tomar qualquer atitude da acima descrita, mas uma coisa é não saber o que está fazendo a outra é entender as forças físicas que atuam em cada tipo de moto-piso-curva. Eu acho que das 3 acima citadas todas tem erros de pilotagem, mas vou me limitar a scooters.

Scooters 125-150cc

Fazer curvas com elas não é difícil, seu centro de gravidade é baixo, ela é leve, mas tem o problema do pneu pequeno que teima em ficar na pista desnivelada, algumas não se pode entrar deitando muito pois ralam a parte de baixo.

Maxiscooters 250-600cc

Apesar do peso maior, são bem equilibradas e não são difíceis de se pilotar, seus pneus mais largos e maiores, freios a disco nas 2 rodas, algumas até com sistema de equilibrar a dosagem de força nas rodas automaticamente fazem com que sejam realmente mais seguras para curvas, desde que não abuse claro.

Velocidade

A velocidade ideal é aquela que te dê um angulo perfeito entre velocidadeXangulo da curva, e se percebe isso facilmente, se estiver muito lento vc fica ziguezagueando na curva, se deitar muito acaba precisando tirar a mao do acelerador e levantar no meio da curva, se NÀO DEITAR vai acabar passando direto na curva, UM PERIGO.

A dica é treinar bastante em curvas que esteja acostumado, sem carros a frente ou atrás e sem garupa (caso a parte), e utilizar o COTOVELO, é, abra ele na curva aponte ele para baixo, outra dica que sempre uso é FAÇA A CURVA NA MENTE, VISUALIZE SEU TRAJETO,  sim, faça um trajeto a frente e siga ele, deixe o corpo se inclinar sozinho, se concentre NA CURVA e vai encontrar o equilibrio perfeito e ai.. vai ADORAR!.

Um detalhe em scooter é a posição dos joelhos, abertos ou fechados, fazem uma diferença grande, algumas pessoas sentam bem para trás o que muda completamente a forma de se fazer as curvas, repare nisso, eu prefiro com as pernas paralelas, nem juntas nem abertas.

Nivel II

Entrar com mais velocidade exige mais habilidade, em rodovias naqueles retornos longos se percebe como ao final fica mais difícil de segurar e manter a scooter, mas se consegue, o lance também é simular pedras, objetos, buracos imaginários, e levantar o corpo no meio do caminho desviar e voltar a trajetória. Isso é importante fazer, você acostuma o cérebro e reflexo quando for realmente necessário.

Nível III

Com garupa a coisa fica mais difícil, ela precisa acompanhar o seu corpo, nas scooters a posição do corpo nem sempre é confortável, os apoios para mãos chegam a ser até inexistentes, é importante que ensine a pessoa que vai sempre andar com você e explicar a ela a grande importância dela seguir o seu corpo, e não ficar trocando de lado para olhar a todo minuto.

Quando tiver acostumado, vá para rodovias sinuosas como as descidas da serra do litoral norte de SP, são um bastante dificeis, e é comum estarem molhadas ou com neblina. um desafio e tanto.

Já ta dominada?

Ai que acontecem os vacilos, pois esquecemos de uma coisa chamada AZAR.

Tá você já toma cuidado com óleo na pista, sabe que na pista da direita a dos caminhões, o centro é sempre oleoso e preto, sabe que a parte mais aberta da curva é cheia de areia e que onde o pneu direito da pista da esquerda (?!) é o trajeto ideal, mas um dia pode acontecer algo você vai precisar frear…e forte.

Frenagem

Por regra, NÃO SE FREIA EM CURVA. muito menos na pintura de pista!

O correto é frear antes, entrar na velocidade certa e controlar no acelerador. mas claro que existem imprevistos, e acabamos por instinto usando o freio dianteiro, se estiver bastante inclinado é muito grande a chance de cair, você só tem a opção do traseiro o que nas 125-150cc são a tambor e de eficácia péssima.

A idéia básica seria 90% atrás e 10% a frente em força aplicada no manete, o ABS não vai ajudar muito.

Apesar dos perigos, quando se entende o processo da curva e as limitações e possibilidades da sua scooter, a coisa fica mais simples e se reparar dentro da cidade a chance de você fazer besteira é menor, fique atento em rodovias, onde se acostumamos a andar em velociade alta e perdemos o bom senso nas entradas, e quando acontecer a cagada só lembre das lições e se concentre o máximo para reverter. o segredo é NÀO PERDER O CONTROLE.

Caso pessoal

Tinha medo de curvas, ai decidi pegar uma rodovia vicinal domingo cedo, vazia, tempo seco, sol, coloquei minha joelheira, jaqueta com proteção, luvas e fui a luta, inicialmente deitava com muita força, depois o corpo deitava e a moto não, depois ficava todo torto, fazia o trajeto na mente mas em velocidade errada, mas ao fim do dia estava já bastante confiante, depois de uns anos já com bastante prática, estava na Rio-Santos em plena chuva fina e garoa no trecho ubatuba->são sebastião, com garupa, pelo menos 3x quase não fiz a curva, e foram desatenção minha e outra da garupa, coisa de segundos, pensei em outra coisa e derrepente a curva ja estava ali, deitei o máximo torcendo para nao ter areia e o pneu segurar, foi duro.. na subida da serra idem, me distrai e como é subida temos a mania de não dar a devida atenção, mas é pista dupla!!, fui parar na contra-mão por uns instantes, por sorte nao vinha ninguém. Hoje a garupa já sabe e sempre dou um toque com o cotovelo para chamar a atenção que a curva é mais fechada, é um diálogo que foi amadurecendo pois até equilibrar o nível de habilidade dela e do meu, demorou um pouco, o bom é que nunca caí em curvas.. só em retas.

Boas curvas para vocês.