Minha Opinião sobre o mercado de scooters

Em meados de 2008

A Honda POP, ia bem no interior, diga-se de passagem, estradas de terra, buracos, ela compete com a Hunter, mas elas são motos para o primeiro consumidor, iniciante, que pegando gosto pela coisa acaba adquirindo um modelo maior ou melhor, A NEO até entra nessa briga, mas ainda limitada as cidadezinhas, não ao publico rural.

As chinesas acabam abocanhando uma fatia de mercado que tem menos poder aquisitivo, uma explosão inicial depois se mantém, devido aos problemas ja citados aqui no scb, ela com certeza não vai durar a eternidade, é algo meio implícito,  quem compraria uma Hunter, ou uma Sundown com 10 anos de uso ?..

Então as ching-lings são ruins?.. Para a industria nacional são péssimas, mas isso é outro assunto e estamos num caminho sem volta (leia empregos e economia). Sobre o ponto de vista de investimento, eu não apostaria em conseguir um bom valor de revenda, no máximo um razoável. sobre o ponto de vista de produto, ele é BOM, sim!, porque não? pelo menos ele vai aguentar uns 2 anos, de pouco uso, sem muita dor de cabeça, muitas opções de personalização e modificações disponíveis em lojas no exterior, entre outras coisas, quem mora nas grandes cidades e tem acesso a mecânicos especializados, não terão problemas, fora isso a internet, quebrou a barreira da informação e acesso a peças, tudo pode ser comprado e entregue na sua casa!,  mas lembre-se, modelos antigos a historia é outra, marcas “mortas” como Garini, não se encontra peças nem no exterior.

Os próximos anos, vamos ver um Booom de sooters, mas esse mercado vai saturar, e ai vamos ver a separação do joio do trigo, marcas aparecendo e sumindo (mesmo porque os chineses vendem adesivos  e carenagens, você coloca o que quiser, abre uma lojinha e pronto), teremos várias qualidades e já tipos de scooters , por exemplo, como foi do lançamento da BIZ, que prometia 60km/litro, vendeu muito e depois se manteve estavel nas vendas, e claro, caiu no mercado negro e é tão roubada como outras motos.. e esse será o destino das scooters, todas elas.

Teremos públicos jovens, que vão adorar tunar , sonorizar, rebaixar, etc, o Tiozão que comprou pro filho e aproveita pra dar uma volta no condomínio fechado, o executivo/vendedor que usa para o dia a dia, os puristas que vão atacar todos modelos diferentes, os clubistas que veneram o estilo e uma marca específica, o playboy que vai exibir sua maxiscooter aos domingos em rodovias seguras e largas, indo ate um restaurante pertinho, e por ai vai…

Eu não vou experimentar essas chinesas de cara, prefiro aguardar nosso amigo Tempo, fazer o seu serviço para depois sim, ver qual se adapta ao meu bolso/desejos.

Quanto as 3 Marias,(yamaha, honda e suzuki) elas tem seu mercado, seu leque grande de opções, e mesmo perdendo um pouco de terreno, vao se manter ai.. e será o campo seguro para os indecisos e receosos com aquele manual escrito no oriente

Em meados de  2009

Estou surpreso, a Honda, demorou muuito pra entrar no mercado, só depois de ter certeza que tinha público e interesse, lançou seu modelo a Lead 110, alguns torceram o nariz, outros já foram separar a sua afinal Honda é honda , e não deu outra. este mês a Honda se tornou líder de mercado deixando a Suzuki – Burgman no 3º Lugar, e por pura culpa da incompetencia da Suzuki em sequer consertar erros crônicos de mecânica e projetos, insatisfação dos clientes etc.. isso a muitos anos anunciados aqui no SCB. Bem feito.

A Dafra também pegou carona e trouxe um modelo parecido com a burgman, mas sem muitos alardes.. ainda está sofrendo com a péssima imagem criada por seus produtos/serviços de qualidade duvidosa, que deixaram muitos membros a pé. Com isso esse novo modelo nao entusiasmou muita gente, que não viu vantagem trocar 8 por 6dúzia.

O resto dos importadores xing-ling estão ai, sobrevivendo, aproveitando o rastro das grandes, mas longe de icomodar.

Em meados de 2011

Depois que a suzuki retirou das concessionárias a burgman125 para zerar os estoques e por meses sem qualquer novidade sobre o novo modelo para 2011 com injeção eletrônica, finalmente o enigma foi resolvido. A história é a seguinte, a Suzuki comercializa na Europa um modelo muito parecido com a Burgman400, é linda, enquanto que para o Brasil foi escolhido um modelo mais comum, utilizado na Ásia, com o sucesso da Honda Lead, esperava alguma mudança que superasse o casco da Lead que tem suas vantagens, mas não é totalmente perfeita, mas como sempre, scooters no Brasil ainda são um nicho muito regional (praticamente SP/RJ), e não é o foco de interesse ainda dos empresários. Enfim, a Burgman modelo 2011 teve mudanças no casco, para melhor, muitos vão gostar, mas duvido muito que consigam reverter a preferência pela Honda Lead atualmente devido a confiança que o modelo já proporcionou.

Em meados de  2012

Ainda de queixo caído pela durabilidade e confiabilidade da Citycom 300i, um tapa na cara e uma volta por cima da Dafra, que decidiu importar um modelo confiável da SYM, colocar um preço acessível e simplesmente abocanhar o mercado que atualmente não tem concorrentes.

Em meados de 2013

A Honda PCX chegou chegando, impressionou os mais céticos e deixou o mercado acirrado, para quem só tinha a burgman 125 ou a Lead 110 como escolha, ela chegou para satisfazer os scoteristas que queriam algo mais forte, mas não queriam pagar o valor acima de 10k. Esse ano, vários concorrentes anunciam pisar no mercado enquanto a Suzuki dorme no ponto e não lança seus excelentes modelos europeus.

Em meados de 2017

Das 125/150cc, o mercado se mantém em alta e com boas vendas, Honda continua liderando, e tendo ótimo pós venda, a Yamaha, lança modelos super modernos (ainda sem modelos de maxi-scooter), com preços acima do mercado. A Dafra aprendeu um pouco e tenta abocanhar o publico intemediario, oferecendo modelos 125 e 200cc, com ainda o carro chefe a Citycom 300, sendo a preferida e eleita pelo SCB como a melhor custo/beneficio do segmento. Das maxi-scooters com 400/650cc, o custo alto de manutenção, afasta muita gente, que acaba utilizando como moto de passeio de final de semana. Importadas ainda com preço altíssimo e com mercado tão restrito que acabam sendo restritas a classe A, como por exemplo as da BMW.

Atualmente

Atualmente a MELHOR SCOOTER DO MERCADO é a Honda PCX, por vários motivos e testes de uso, é a indicação do SCB.