Otimização de desempenho das scooters

Otimização de scooters

Desde muito tempo, recebo muitos questionamentos em relação a performance das scooters, e sempre respondo que para um veiculo urbano e para o que foi proposto, sua ciclistica etc, o que existe funciona. Mas várias vezes se deparamos com situaçoes praticas no brasil, que as scooters tem deixado muita gente furiosa e até passando por enrrascadas (eu inclusive).

Muito já se falou no aumento de performance, roletes, correias de kevlar, pistão de 150cc, e por ai vai, muitos com a simples intenção de não ficar para tras dos cegezeiros .. mas também, muita gente que possui alguns kilos a mais, ficar decepcionado, e com garupa então.. a coisa vira um arrasto.

Apesar de ser contra preparação de motos para fins de racha, e afins, sei dar o braço a torcer em relação as scooters 125cc que ficam abaixo do razoável, e até mesmo inseguro, pois já passei muitos problemas por ficar no meio dos caminhões por nao ter motor para dar aquela escapulida.

Já andei e testei muitas scooters modificadas, a famosa 150cc do “Moreno”, outras com correia de kevlar, roletes polini, etc etc. não vi nada de diferente e que valesse o investimento, custoXbeneficio, etc fosse realmente o caso.

Mas ainda assim, existem pessoas que querem “turbinar”sua scooter, então segue o que existe de opção para ser feito, muita coisa depende de peças importadas e para dificultar, mecanicos especializados que entendem da parte técnica e saibam equilibrar todas as modificações, atualmente só sei de poucos locais em SP e um em Curitiba.

Existem varios tipo de modificações, lembrando que você deve ENTENDER o que está fazendo e que se acha que tentativa e erro, é uma opção, vá em frente, mas no caso de scooter, o cambio CVT é uma grande variável, de dificil controle.

 

Nivel 1 – Troca-se alguns itens, como correia de kevlar, roletes 1g ou 2g mais pesados, alteração no filtro de ar, kit do gicle do carburador ou comando manual externo da injeção, largura/altura diferente de pneu.

Nivel 2 – anterior + Alteração na saída do escapamento e no escapamento, troca do carburador por outro, troca da mola da polia traseira, troca da embreagem por de competição e mais “curta”, com ajustes das molas de atuação, modificação nas engrenagens da relação.

Nível 3 – todos anteriores + Alteração no cabeçote e capacidade cilindrica, ou rebaixando ou colocando material no pistao para aumentar a compressão do ar, modificação nas valvulas, modificacão no comando de válvulas

 

 


Para modelos com injeção eletronica como a Honda Lead

Em matéria publicada no motosblog, Daniel Ribeiro sugere a utilização de um controlador eletrônico da injeção, que faz o ajuste fino e retira a limitação do RPM que vem por padrão de fábrica.

Claro que o consumo aumenta, mas é uma alternativa para os que querem uma solução custoXbeneficio rapida.

Lembrando que é necessário se informar na concessionária sobre a perda da garantia ELETRICA, com a implantação desse aparelho.

Leia a conclusão e verá que a otimização não pára por ai e se vc fizer mais modificações o aparelho começa a realmente ter um bom efeito (em conjunto).

http://www.motosblog.com.br/2010/06/28/tutorial-de-instalacao-do-servitec-fuel-controller-na-honda-lead/

http://www.motosblog.com.br/2010/07/15/resultados-do-fuel-controller-servitec-na-lead/