Sundow Future 125cc – Mandruvax

Relato meus 20.000 Km rodados com a Sundown Future 125 para divulgar minha

situação de consumo sobre a marca e o modelo que adquiri em 2005, a primeira

do estado, pois fui eu que tive de ir até o escritório da Sec. da Fazenda na

unidade do DETRAN para Cadastrar o modelo no sistema de registro. Utilizo

motocicletas como meio de transporte há 30 anos e acompanho o mercado desde

1979. Já tive várias marcas e modelos, mas as Escooteres me conquistaram e

não quero outro tipo de veículo para o transporte urbano.

Minha utilização é exclusivamente em piso pavimentado (“de boa qualidade”)

conforme recomendação do fabricante e o ambiente nativo das Scooteres no

mundo inteiro. Infelizmente o piso pavimentado de má qualidade é comum aqui

e na maior parte das cidades brasileiras, isso interfere na dirigibilidade,

durabilidade e segurança de uma Scooter, mas, paciência, eu escolhi correr

este risco dado o conforto e a versatilidade do modelo. Realmente há um

esforço de manutenção para manter a carenagem integra e sem barulhos o que é

aceitável para os padrões do mercado brasileiro considerando que desconheço

modelo de carro ou moto nacional que não apresente ruídos sobre nossos

calçamentos próprios para veículos OFF-ROAD. A carenagem também sofreu a

ação dos “tomacontas e motoboys” espalhados nos estacionamentos superlotados

que inevitavelmente preciso utilizar, marcas de esbarrões e manuseio

inadequado surgem sem que ninguém assuma o prejuízo pelo dano que sobra para

mim.

Transportando 2 (duas) pessoas, totalizando 150 Kg de carga, ela sobe

ladeiras desenvolvendo em média 40 Km/h; descendo com vento a favor a Future

124 já acelerou aos 110 Km/h com estabilidade e segurança mais do que

satisfatórios. A sua estabilidade depende da perfeita calibragem dos pneus,

estes são itens importantes para quem utiliza dois aros de 13” (treze

polegadas) calçados com pneus mais largos. Como ex-proprietário de modelo

CUB, que utiliza pneus mais finos em aros maiores, afirmo, sem sombra de

dúvidas, que a Future é comprovadamente superior. O sistema de suspensão

atende bem mas não está preparado para pancadas, que infelizmente podem

ocorrem. Parafraseando o poeta, no meio do caminho há um buraco, há um

buraco no meio do caminho.

O consumo não passou de 30 Km/litro. Foi a melhor marca que consegui

acelerando o mínimo, escolhendo bem os caminhos planos e deixando a esposa à

pé. No geral o consumo médio é de 25 Km/litro. Ela adora combustível de boa

qualidade e a minha só bebe V-Power da Shell, um capricho meu que ela

agradece e eu recomendo. De vez em quando ela mostra variação na marcha

lenta, um tique temperamental, daí a levo para uma via expressa e atinjo os

limites de aceleração e velocidade para desobstruir suas artérias

carburantes, ela vira outra, acho que gosta de sentir o cabo do acelerador

enroscado no talo por mais tempo. Ela tem energia para girar o motor todas

as manhãs se os pólos da bateria estiverem limpos. A bateria precisa ser de

8 MA/h ou superior que couber no espaço para armazená-la, já troquei algumas

vezes dentro da média de durabilidade recomendada pelos fabricantes

brasileiros de baterias. Todas as motos que tive precisaram de uma carga

trimestral para manter a durabilidade da bateria e seu nível de carga

satisfatório, é uma característica de minha utilização. Ando pouco, paro

muito e utilizo farol aceso o tempo todo, atualmente de dia posso usar a

lanterna de iluminação para estacionamento. As revisões, fiz todas, sem

exceção, não houve paradas para manutenção corretiva entre as revisões de

caráter preventivo, com sorte e agradecendo a Deus só foram trocadas peças e

componentes de desgaste pelo uso normal. Tive um acidente leve no

estacionamento com piso muito liso e resíduo de poeira, uma batida de

frente numa pilastra mal colocada, sem dânos à saúde mas que exigiu a

substituição de peças da carenagem frontal que foram encontradas a um preço

acessível nas concessionárias da cidade. Nas manutenções das carenagens

descobri um fornecedor de recondicionamento de parachoques que resolve

problemas de encaixe e colagem quando necessário. A mão de obra de mecânica

fica a cargo de uma oficina não autorizada mais de excelente qualidade

técnica, excelente estoque de peças e disposição em atender a clientes

exigentes. Cabe aqui um agradecimento à equipe técnica que me atende.

Confesso que gostaria de ver a Future 125 da Sundown (o primeiro e único com

suas características no mercado nacional, aro 13, plataforma baixa), tendo

aceitação e sucesso de vendas. O modelo vem cravando a média de 207 unidades

vendidas por mês desde seu lançamento até agosto de 2010, média calculada

com base nas informações de comercialização de motorcicletas da fonte

Abraciclo. O total de unidades comercializadas está em 14.478 desde o

lançamento até agosto 2010. Os consumidores precisam exercer seus direitos

exigindo que suas necessidades sejam atendidas da melhor forma possível. Por

sua vez os fornecedores têm o dever de orientar e distribuir ao mercado

produtos adequados diagnosticando as necessidades e oferecendo qualidade aos

consumidores.